quinta-feira, agosto 30, 2007

Pra não dizer que não falei de flores (Geraldo Vandré)

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantado
E seguindo a canção...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)


Pelos campos a fome
Em grandes plantações

Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Um comentário:

Dudu do Brasil disse...

Eita puxou geraldo vandré do baú!!
coisa mais ditadura!!! rsrs
legalzinha a música, apesar de o cara do violão ter q quase morrer de tédio tocando dois acordes o tempo todo....
mas o chato msm é q caras q eram legais naquela época viraram ladrões hoje né? "a la" aqueles q eram militantes representantes estudantis... foram exilados... vão para cuba... depois voltam e viram um politico bem safado hehehehehe